Notícia

Brasil é o sexto maior mercado de caminhões

20/01/2009

São Paulo, 19.11.07 - O Brasil se posiciona neste ano como o 6º maior mercado de caminhões do mundo, colocação que surpreende um setor que passou por uma crise no primeiro semestre do ano passado. De acordo com a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), de janeiro a outubro foram fabricadas 114.399 unidades, crescimento de 29% sobre igual período de 2006. O presidente da entidade, Jackson Schneider, aponta como fator fundamental para a expansão a recuperação do agronegócio, puxado pela demanda por cana-de-açúcar, em função da produção de etanol. Segundo o gerente comercial da Apta Caminhões (Volkswagen), Antônio Pascual Parames, por esse motivo, o maior crescimento foi no segmento de pesados. ?O mercado de caminhões leves ficou praticamente estável?, afirma. Lista - Enquanto as fabricantes batem recordes de produção, os concessionários só conseguem entregar em março os produtos encomendados agora. Para o gerente, dois motivos geram as longas listas de espera: a demanda reprimida, não esperada pelas fabricantes, e a falta de planejamento dos clientes, que não têm o hábito de fazer as encomendas antes, contando com as filas. ?Chegamos a fazer recentemente um congresso e o pessoal da Alemanha (matriz) quer que a gente crie a cultura no Brasil de comprar com antecedência?, comenta. Parames acredita que a situação no ano que vem irá se estabilizar. Para o diretor de Vendas de veículos comerciais da Mercedes-Benz do Brasil, Gilson Mansur, o mercado já começou a se adaptar. ?Pela primeira vez vejo as empresas planejando a compra?, diz. Expectativas - Pelo menos, as montadoras já estão preparadas para um crescimento significativo do mercado interno no próximo ano. As fabricantes apostam em na venda de 106,4 mil unidades para 2008, ou seja, crescimento de 10% sobre o esperado para este ano. Elas acreditam que em dezembro o setor fechará com 96 mil unidades vendidas, expansão de cerca de 30% sobre as 76,2 mil unidades comercializadas em 2006. Estima-se que 2007 se encerre com a produção de 133,4 mil caminhões. E para 2008, a previsão é de que saiam das linhas de montagem cerca de 146 mil unidades. O diretor geral da unidade de Vendas e Serviços da Scania do Brasil, Christopher Podgorski, aposta no crescimento da construção civil para incrementar os números. ?Esperamos que o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) se concretize.? Fonte: Diário do Grande ABC - SP