Notícia

Empresas sugerem maior mistura no diesel

20/01/2009

Brasília, 10.12;07 - O presidente da União Brasileira do Biodiesel (Ubrabio), Odacir Klein, disse, em audiência pública na Subcomissão Permanente dos Biocombustíveis, ligada à Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), que a capacidade de produção das empresas do setor é de 2,5 bilhões de litros por ano, quase três vezes a previsão da demanda criada com a mistura obrigatória no diesel (2% a partir de janeiro) determinada pelo governo que é de 840 milhões de litros. Diante disso, as empresas insistem em que sejam adotadas medidas para garantir demanda para os biocombustíveis. Outro problema enfrentado pelas empresas, de acordo com a análise de Odacir Klein, é que os produtores de soja são isentos do pagamento de impostos federais e do ICMS, quando esse incentivo não existe para os produtores do biocombustível. "Na Argentina é o contrário, lá tributa-se fortemente o grão e quase que não se tributa o biocombustível que venha a ser exportado", disse o representante dos empresários. Odacir Klein ressaltou, porém, o reconhecimento do setor pela "atuação séria" do Governo na tentativa de encontrar soluções para esses problemas. Ele lembrou que o Programa do Biodiesel determina a obrigatoriedade da mistura de 2% de biocombustível a partir de 1º de janeiro. Esse mistura será de 5% a partir de 2013. Essa data, na opinião de Odacir Klein, deverá ser antecipada. "O Governo tem adotado suas precauções; diz que não aumenta esse percentual de 2% previsto para 1º de janeiro se não há garantia do fornecimento desse combustível, mas os empresários têm condições de entregar bem mais do que esse percentual", - declarou Odacir Klein. Ele lembrou que há dúvida sobre a capacidade de oferta de matéria-prima para o setor, pois atualmente a soja ? cujo preço é determinado pelo mercado internacional ? é responsável por 75% do biodiesel produzido. As informações são do Boletim do Biodiesel. Fonte: Correio do Estado - MS