Notícia

Radar móvel: em SC, infração ainda é registrada

20/01/2009

Florianópolis, 29.5.06 - A suspensão das multas aplicadas pelos radares móveis, por meio de liminar do Tribunal Regional Federal (TRF) da 5ª região na última semana, em nada alterou o trabalho dos patrulheiros da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Santa Catarina. Os 12 aparelhos utilizados na fiscalização das estradas federais que cortam o Estado continuam registrando as infrações atreladas ao excesso de Flagra Se não houver fiscalização, muitos motoristas vão passar a desrespeitar o limite de velocidade velocidade. "A suspensão está vinculada à cobrança e não à aplicação da multa", justificou o superintendente substituto da PRF de Santa Catarina, Luiz Carlos Padilha, ontem. A cúpula da PRF/SC aguarda notificação para eventualmente readequar as atividades. Os patrulheiros utilizam atualmente dois aparelhos estáticos para a fiscalização da velocidade nas estradas. "Hoje, não utilizamos radares móveis. E, como desconhecemos os detalhes da proibição, não sabemos se o uso de outros sistemas similares também estão suspensos", explicou. O aparelho móvel, vale esclarecer, é utilizado pelos patrulheiros no interior da viatura, que, habitualmente, está circulando pela estrada para flagrar o motorista infrator. Em Santa Catarina, a PRF possui dois aparelhos estáticos (fixados em locais estratégicos das rodovias) e outros dez equipamentos portáteis, conhecidos pelos motoristas como "secador de cabelo" ou ainda "pistolinha". A utilização deste último modelo obriga o patrulheiro a aguardar, parado na margem da estrada, pelo flagrante do excesso de velocidade. Alguns equipamentos, fixados em um tripé, fotografam o automóvel infrator, que pode receber a multa somente dias depois em sua residência. Outros notificam apenas a velocidade e obrigam o policial a abordar o motorista para oficializar a notificação. O superintendente substituto da Polícia Rodoviária Federal de Santa Catarina, Luiz Carlos Padilha, coloca que, se não houver fiscalização, muitos motoristas vão passar a desrespeitar o limite de velocidade, o que, certamente, irá desencadear o crescimento do número de incidentes nas estradas". Multa Quais são as irregularidades 2005 A PRF aplicou 28.500 multas devido ao excesso de velocidade em Santa Catarina em 2005. A PRF expediu, também em 2005, 84.500 notificações, somando todas as infrações de trânsito, entre as quais, o abuso de velocidade, ultrapassagem em local proibido e irregularidades na documentação. 2006 A PRF aplicou outras 8.720 multas devido ao excesso de velocidade nas estradas de Santa Catarina entre janeiro e maio. Veja os números a cada mês: mêsmultas Janeiro2.100 Fevereiro2.400 Março1.520 Abril1.650 Maio1.050 (levantamento realizado até 26 de maio) Campeões de multas A maioria dos flagrantes de velocidade em Santa Catarina são registrados no trecho Norte da BR-101 e no trecho da BR-116 que liga os municípios de Lages e Mafra. Infração O que diz a legislação O motorista que ultrapassar em até 20% a velocidade máxima comete uma infração "Grave", o que implica a perda de 5 pontos na CNH, e está sujeito ao pagamento de multa no valor de R$ 127,00. O motorista que infringe o limite de velocidade em mais de 20% comete uma infração "Gravíssima" e está sujeito ao pagamento de multa no valor de R$ 570,00. A infração leva à perda de 7 pontos na CNH e resulta na suspensão da habilitação do condutor (medida que independe de infrações anteriores). Quase 30 mil multas ano passado Somente em 2005, a Polícia Rodoviária Federal expediu 28.500 multas devido ao excesso de velocidade em SC, a maioria no trecho Norte da BR-101 e também no trecho da BR-116. "As boas condições dessas estradas levam alguns motoristas ao abuso da velocidade", salientou. O levantamento do último quadrimestre indica que muitos motoristas continuam infringindo os limites de velocidade. Tanto que, entre janeiro e maio, a PRF expediu 8.720 notificações. Fonte: A Notícia