Notícia

As caveiras da BR-282

30/11/-0001

Florianópolis, 3.8.09 - Quando o DNIT de Santa Catarina anunciou a conclusão das obras da BR-282 entre Lages e São José do Cerrito, não faltaram justas comemorações. Estava desenterrada a mais antiga caveira de burro da rodovia da integração, a estrada mais importante para a comunicação entre a população e a mais antiga, com seus 200 anos de planejamento.

Reconheça-se que o DNIT tem realizado um elogiável esforço no sentido de melhorar trechos pavorosos ou com trânsito insuportável, especialmente na região Oeste. O percurso mais terrível continua sendo entre Chapecó e Xanxerê, inclusive, com dados trágicos sobre o registro de vítimas fatais. Mas há, pendente, a conclusão da BR-282 até a fronteira com a Argentina, obra fundamental para a integração do Mercosul.

A caveira saiu da região serrana, mas insiste em marcar presença em outros trechos, com as trágicas ocorrências. No local onde tombou um ônibus argentino não há nenhuma sinalização.

É o que constata o deputado Elizeu Mattos, líder do governo na Assembleia e usuário da estrada. Ele reside em Lages e trabalha em Florianópolis. Tem autoridade para suas críticas.

Esta semana, estava indignado. O trecho entre Águas Mornas e Alfredo Wagner, recuperado há apenas quatro meses, está se esfarelando, com uma buraqueira sem igual. – A pintura está desaparecendo como a chuva –, denuncia. O parlamentar está disposto a intervir, no reinício dos trabalhos legislativos, para tratar desta deterioração, pedindo uma investigação do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público Federal. Comparou: – Outro trecho em Alfredo Wagner, restaurado em 1999, está em condições muito melhores.

  • A obra

    O diretor do DNIT-SC, João José dos Santos, procurou esclarecer que ali, entre os quilômetros 87 e 101, houve apenas revestimento superficial. E que está para assinar contrato de restauração, este sim, de longa duração. Até agora, na atual gestão, 70% da BR-282 já foi restaurado, incluindo nova sinalização.

    Santos transmitiu outras informações sobre as principais rodovias federais. O projeto de engenharia para a duplicação da BR-470, entre Navegantes e Indaial, estará pronto em 30 de novembro. A licitação da obra se dará até 30 de dezembro, e a construção, entre 30 de março de 2010 e dezembro de 2011. Há recursos orçamentários de R$ 98 milhões do PAC. O EIA-Rima deve ficar pronto em agosto.

    Há notícias melhores sobre a duplicação da BR-101 Sul. A primeira: a empreiteira mais debilitada, responsável pelo Lote 25, na região de

    Imbituba, parada desde dezembro, assumiu compromisso de retomar o cronograma, com a nova injeção financeira recebida. O DNIT mantém a promessa de conclusão de 70% da pavimentação asfáltica até o fim do ano. Este era o prazo de 2008. Isto representaria 166 quilômetros de um total de 238. Já foram entregues ao tráfego 110 quilômetros com pista duplicada, além de 54 obras de arte (pontes, viadutos, passarelas e passagens).

    O engenheiro João José dos Santos ratificou a previsão de término de todo o trecho asfaltado e entrega das obras de arte da BR-101 Sul até julho de 2010. Para a conclusão total ficariam faltando os três gargalos: os túneis do Morro dos Cavalos, a ponte de Cabeçudas e o Morro do Formigão.

    Na próxima semana, haverá reunião definitiva no BNDES, com a participação dos empreiteiros, para a agilização dos financiamentos destinados ao capital de giro e, finalmente, a retomada das obras nos trechos mais atrasados.
    Fonte: Coluna Moacir Pereira - 1º.8.09 - Diário Catarinense