Notícia

NTC divulga Índice Nacional de Variação de Custo do Transporte

07/07/0201

São Paulo, 7.7.14 - A NTC&Logística informa aos associados que a variação média do Índice Nacional da Variação de
Custos do Transporte Rodoviário de Cargas Fracionadas (INCTF1 DecopeNTC) foi de 3,65% entre julho de 2013 e junho de 2014.
 O INCTF mede a evolução de todos os custos da carga fracionada, incluindo transferência, coleta e distribuição, custos administração e de terminais.
Nos últimos doze meses, o preço do diesel²  comum na bomba teve uma variação de 7,11%, passando de R$ 2,334 por litro para R$ 2,500 por litro. No período de junho/14 contra maio/14, o preço do
óleo diesel comum não registrou variação, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP).
Por outro lado, o óleo diesel S-50/10, cujo preço vem sendo acompanhado desde março/12, foi comercializado em junho de 2014 a R$ 2,610 por litro, aumento de 7,19%, quando comparado ao
mesmo período do ano anterior, quando o preço do litro estava sendo comercializado a R$ 2,435. O Arla 32, aditivo utilizado para reduzir as emissões de poluentes, foi negociado em junho/14 a R$
3,3914 p/litro, registrando aumento de 2,15% em relação ao mês anterior. Nos últimos 12 meses a variação acumulada registrou retração de (17,24%).
No mês de junho/14 contra o mês de maio/14, o veículo de distribuição registrou retração de (0,97%), da mesma forma o veículo truck, utilizado na transferência, registrou variação negativa de
(0,37%). O implemento (baú duralumínio) rodoviário registrou variação de 0,11%, enquanto o implemento do veículo urbano de carga teve variação de 0,50%.
 
Comportamento de preços dos insumos no período de 12 meses.
 
Na operação de transferência, os insumos que registraram variações mais significativas nos últimos 12 meses foram: pneu 275/80 22,5R com variação de 2,38%, a lavagem 1,67%, recapagem 1,64%,
rodoar (2,81%), veículo de transferência com queda de (3,01%), e o baú de alumínio (implemento rodoviário) com variação de 1,63%. Os salários registraram variação negativa de (2,43%) em virtude
da mudança de cálculo do INSS.
Na operação de distribuição, os insumos que tiveram variações mais expressivas foram: o veículo com aumento de 8,08%, pneu 215/75 R 17,5 com variação de 1,15%, baú de alumínio 2,90%, recapagem 1,81%, lavagem 2,38%. O óleo de cárter também registrou uma variação acumulada de 1,57%, enquanto o óleo de câmbio ficou em 0,35%.
Os salários de motorista e ajudante tiveram redução de (2,43%) e (2,44%), respectivamente, em virtude da mudança de cálculo do INSS. Os seguros tiveram aumento de 7,47%, salários administrativos 0,12%, despesas administrativas e de terminais (exceto salários) 6,20%, e despesas administrativas 2,04%.

Variação de custos para o transporte Lotação

A variação média do Índice Nacional da Variação de Custos do Transporte Rodoviário de Carga Lotação (INCTL DECOPE/NTC) foi de 5,65% (cinco vírgula sessenta e cinco por cento) de julho de
2.013 a junho de 2014 (junho de 2014 sobre junho de 2013, ou ainda nos últimos doze meses). O INCTL3  mede a evolução de todos os custos da carga completa, incluindo transferência, administração, gerenciamento de riscos e custo valor.
Considerando o mês de junho/14 contra maio/14, o preço do cavalo mecânico obteve variação de 0,04%, enquanto o semirreboque baú de alumínio (implemento rodoviário), registrou variação de 0,22%.
Nos últimos 12 meses os insumos que apresentaram variações mais significativas foram: o cavalo mecânico com variação acumulada de 8,04%, seguro 6,88%, salários do DAT com variação de 5,75%,
redução em relação à análise anterior, em virtude da mudança de cálculo do INSS. Despesas Administrativas e de Terminais (exceto salários) – DAT exceto salários 5,14%, Despesas Administrativas e de Terminais – DAT 5,39%, salário motorista (2,42%), redução em virtude da mudança de cálculo do INSS, rodoar 0,85%, recapagem 2,21%, óleo de câmbio 0,35%, óleo de cárter  1,57%, lavagem 1,21% e 8,32% para pneus.
 
Lei 12.619 e os índices de custos
 
A Lei 12.619, que entrou em vigor no dia 17 de junho de 2012, que regulamenta a profissão do motorista, seja ele, empregado ou autônomo, trouxe aumentos significativos nos custos operacionais
das empresas de transporte, de acordo com estudos já desenvolvidos pelo Decope.
O impacto dessa nova legislação não foi captado pelos índices (INCTF, INCTL entre outros), porque o Decope já vinha trabalhando de acordo com as exigências trazidas pela nova legislação.

INCT-FR, INCT-FOU INCVT e INCT-FRIG

A evolução completa do INCTF do INCTL e dos demais índices (INCTFR, INCTFOU, INCVT – Índice Nacional do Custo Variável do Transporte e INCTFRIG Índice Nacional do Custo do Transporte
Frigorífico), assim como dos insumos do transporte encontra-se à disposição dos filiados da NTC&LOGÍSTICA na área restrita aos associados do site www.portalntc.org.br. Para acessar esta área,
clique no canal Técnico e Econômico. Em seguida, clique "Downloads".
O Departamento Técnico e Econômico da NTC&LOGÍSTICA (DECOPE) coloca-se à disposição das empresas e entidades associadas para prestar qualquer informação complementar pelo telefone (11) 2632-1536/1538 ou pelo e-mail coord.economia@ntc.org.br.  
 
São Paulo, 30 de Junho de 2014.
 
DECOPE/NTC&LOGÍSTICA

1 É livre a reprodução total ou parcial desta nota em qualquer meio de comunicação, desde que não sejam
omitidos ou alterados aspectos essenciais à compreensão da mesma e desde que seja citada a fonte como
segue: DECOPE/NTC&LOGÍSTICA – Departamento de Custos Operacionais e Pesquisas Técnicas e
Econômicas/Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística.
 
2 - Pesquisa realizada na última semana de cada mês, fonte ANP – Agência Nacional do Petróleo. Refere-se ao
diesel com alto teor de enxofre.
3 - Este custo inclui custo peso, GRIS, custo valor para mercadorias de baixo valor (R$ 2.691,46/TON.) e PIS/COFINS. Não inclui taxa de lucro e
pedágios. Franquia de 4 horas para carga e descarga. Acima disso, o custo adicional é de R$ 79,45 p/hora útil parada, ou R$ 3,02 por
tonelada por hora útil.
Fonte NTC e Logística