CNT premia reportagens sobre o transporte

O presidente e vice da Fetrancesc, Ari Rabaiolli e Dagnor Schneider, respectivamente, participaram na noite desta quarta-feira, 06, em uma cerimônia realizada em Brasília, da entrega do Prêmio CNT de Jornalismo, aos autores dos melhores trabalhos jornalísticos sobre o transporte veiculados pela imprensa brasileira.

O Prêmio CNT de Jornalismo, que está na 24ª edição, é um dos mais tradicionais do país. Ele estimula a evolução do setor de transporte ao apontar problemas e soluções para situações das áreas de cargas e de passageiros em todos os modais.

O Grande Prêmio CNT de Jornalismo ficou com a reportagem “O Rio sem Entrega”, Luã Marinatto e equipe (Extra): a série de reportagens mostra que o roubo de cargas se tornou um dos principais crimes cometidos no Estado fluminense. Foram dois meses de apuração e cem viagens nos ramais de trens urbanos que revelaram, por exemplo, que os ambulantes vendem, dentro do transporte público, as cargas roubadas de caminhões.  “O Rio sem entrega”, Jornal Extra – Luã Marinatto e equipe.

“Continuaremos incentivando a produção de conteúdo de qualidade em relação ao transporte, um setor tão importante para o desenvolvimento do Brasil e para a qualidade de vida das pessoas. Esse é um dos prêmios de jornalismo mais antigos e respeitados do Brasil”, diz o presidente da CNT, Clésio Andrade.

Em 2018, o Prêmio CNT de Jornalismo completará 25 anos. Jornalistas já podem separar reportagens veiculadas a partir de 8 de agosto deste ano, ou produzir trabalhos sobre o transporte, para inscrever na próxima edição.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *